• Marcello Veríssimo

    Amor, emoção, alegria e disciplina com o esporte foram algumas das sensações e sentimentos experimentados pelos campeões da 49a Semana Internacional de Vela de Ilhabela, que teve sua premiação oficial realizada neste sábado (30), no Race Village, montado na Praça Coronel Julião, na Vila. O show de encerramento foi com Gabriel O Pensador, que levou centenas de pessoas, que se divertiram e cantaram em uma só voz os sucessos de um dos maiores artistas do país.

    A solenidade de premiação reuniu os tripulantes dos veleiros vencedores, o público admirador do esporte e autoridades políticas e do meio náutico, entre elas o comodoro do Yacht Club Ilhabela, Alex Costa Pereira, o diretor de vela do Club, organizador e comandante do veleiro Caballo Loco, um dos campeões da SVI, Mauro Dottori e o prefeito Toninho Colucci.

    A maior competição da vela oceânica da América do Sul teve a participação de 115 embarcações e cerca de mil velejadores brasileiros e argentinos. O evento reuniu bicampeões e medalhistas olímpicos, campeões mundiais, medalhistas pan-americanos, além de nomes consagrados da vela brasileira e internacional, e novos velejadores que tiveram a oportunidade de vivenciar uma experiência inédita com seus ídolos na Regata Vela do Amanhã. “Tivemos 130, em 34 barcos, de 10 escolas de vela, quem participou e viu o rosto daquelas crianças nunca mais vai esquecer disso e é bom que não esqueça, pois ano que vem tem mais”, disse Dottori, que ainda destacou a importância e prestígio da SVI junto aos nomes mais importantes da vela brasileira. “O prestígio que a Semana de Vela tem com todos os velejadores olímpicos. Gratidão a toda família Grael: ao Torben, Lars, a Martine, o Marco; Robert Scheidt, um garotinho que achei que levava jeito e convidei para velejar comigo; ao Plínio de Freitas, Buchecha, Santinha, esses nomes todos abrilhantam ainda mais o evento. Só me resta agradecer a todos vocês e espero encontrar todos vocês, em um número maior, em 2023. Que venha a quinquagésima”, disse Dottori, com a satisfação de um bom trabalho realizado.

    Em suas palavras, o comodoro do Yacht Club Ilhabela, Alex Costa Pereira, também agradeceu ao empenho do prefeito Toninho Colucci. “Superamos todas as expectativas, foi um desafio enorme, foi um sucesso. Obrigado a todos pela parceria, pela força e por tudo que vocês fizeram nessa empreitada pela Semana de Vela”.

    A satisfação estava no rosto e no coração de todos. O prefeito Toninho Colucci foi um dos que entregou as medalhas para cada tripulação, com diferentes categorias, entre elas a HPE 25, Clássicos e a principal ORC. “Não temos como dizer a importância deste evento para Ilhabela, somos reconhecidamente a Capital Nacional da Vela, as semanas fizeram nove anos. Ilhabela todo mundo reconhece como uma cidade linda, e a nós cabe cuidar. E Ilhabela fica ainda mais linda, ainda mais bela, quando estes barcos estão no mar e vocês todos aqui conosco”.

    Um dos momentos mais emocionantes foi justamente a homenagem para as mulheres, que neste ano estiveram presentes na competição com duas tripulações 100%femininas. “É gratificante essa homenagem porque é o reconhecimento do esforço feminino na vela. Por isso que falo pras mulheres: velejem como mulheres, a gente não precisa imitar o que os homens fazem porque eles têm uma postura e nós temos outra. Hoje eu vejo essa quantidade de mulheres na água e me emociono porque nós que começamos com essa história”, disse Cláudia Adami, que em 1984, fez parte da primeira tripulação feminina de vela oceânica no Brasil no barco Revanche, homenageado na premiação por meio de um vídeo contando sua história.

    Prêmios – Na classe ORC, o campeão foi o Crioula 52, barco de Porto Alegre (RS), que ganhou do Phoenix, do Guarujá (SP). Na C30 outra disputa sensacional e o Caballo Loco, com o bicampeão olímpico Robert Scheidt no leme, barco de Ilhabela e Ubatuba, superou por apenas um ponto o Loyalty 06. Na BRA-RGS e Clássicos a vitória foi do bicampeão olímpico Torben Grael com o Lady Lou. Já na Super 40, com barcos modelo Soto 40 que disputaram a ORC, o campeão King só foi conhecido no quarto critério de desempate contra o Argos, que contou com o medalhista olímpico Lars Grael. Na Multicasco o barco pernambucano Aventureiro 4 ganhou as seis regatas. Na Bico de Proa, vitória do BL3 Bangalô. E na HPE 25 o primeiro lugar ficou com o Espetáculo, seguido do Three Musketeers.

    Na principal classe da Semana de Vela, a ORC, os barcos Crioula e Phoenix depois de sete regatas entraram na última separados por apenas um ponto, com quatro vitórias do Crioula contra três do Phoenix. Na regata decisiva, o Ventaneiro 3, do comandante Renato Cunha, foi o ganhador, mas com o segundo lugar o Crioula, do comandante Eduardo Plass e com o velejador olímpico Samuel Albrecht, garantiu o título, com dez pontos perdidos contra 13 do Phoenix, do multicampeão Eduardo Souza Ramos. O Argos, com Lars Grael, terminou na terceira posição.
    “Velejamos muito bem durante toda a semana, embora tenhamos tido um pouco de azar na regata de sexta-feira. Mas fomos para o último dia com muita garra e determinação, conseguimos o segundo lugar o que foi suficiente para garantir o campeonato. Tivemos uma rivalidade muito boa com alguns barcos, numa competição de nível alto, de excelentes velejadores, isso tudo valoriza a nossa conquista. Estamos muito felizes”, disse o velejador olímpico e medalhista pan-americano, Samuel Albrecht.

    Na C30 a definição do campeão ficou para as últimas duas regatas deste sábado, com três embarcações na disputa: o Caballo Loco, com o bicampeão olímpico Robert Scheidt, o Loyalty 06 e o Kaikias. Com dois segundo lugares contra dois primeiros do Loyalty, o Caballo Loco, do comandante Mauro Dottori, garantiu o título por apenas um ponto: 21 pontos perdidos contra 22 do adversário. O Kaikias terminou em terceiro, com 24. A equipe repete o feito de 2019 quando levantou o troféu pela primeira vez em Ilhabela.

    Robert Scheidt disse que durante as regatas aconteceu muita coisa na água e que a equipe do Caballo Loco conseguiu superar alguns momentos difíceis. “Dois nós de correnteza, o vento variando bastante. Nossa primeira largada foi ruim, a gente veio de trás, conseguiu se recuperar e chegar em segundo. Na segunda regata de novo lutando por cada metro conseguimos chegar ao título. Foi muito bom estar em Ilhabela e me juntar à equipe do Caballo Loco”, agradeceu Robert Scheidt, destacando a importância de estar em uma excelente equipe. “Eu sou apenas uma das peças nessa engrenagem. Velejamos juntos, nos entrosamos, fizemos escolhas que nem sempre foram acertadas. Sair daqui com o título é muito bom. Mostrou que a equipe soube reagir depois de um dia difícil”, completa o timoneiro, que promete voltar em 2023: “A Semana de Vela é sempre muito bem organizada, com o Yacht Club fazendo um ótimo trabalho. Aproveito para agradecer aos patrocinadores que estão dando uma grande força. Não vejo a hora de voltar em 2023 e competir novamente. Agora é um dia de comemoração e celebrar”.

    A competição contou entre outros com seis medalhistas olímpicos como os bicampeões Robert Scheidt, Torben Grael, Marcelo Ferreira e Martine Grael, além de Lars Grael e Clínio de Freitas. Destaque ainda para o pentacampeão mundial e bicampeão pan-americano Maurício Santa Cruz; para o campeão mundial de Optimist, Alex Kuhl; além dos velejadores olímpicos Gabriela Nicolino, André Fonseca, Bochecha, Samuel Albrecht, Henrique Haddad, o Gigante, Jorge Zarif e Manfred Kaufmann.

    Confira a galeria dos Campeões:

    ORC

    1 – Crioula 52
    2 – Phoenix
    3 – Argos

    C-30

    1 – Caballo Loco
    2 – Loyalty 06
    3 – Kaikias

    BRA-RGS

    1 – Lady Lou
    2 – Pangea
    3 – Fantasma

    Super 40

    1 – King
    2 – Argos
    3 – 4Z Phytoervas

    Clássicos

    1 – Lady Lou
    2 – Cangrejo
    3 – Pepa XIX

    Multicasco

    1 – Aventureiro
    2 – Guará 3
    3 – Maré XX

    Bico de Proa

    1 – BL3 Mangalô
    2 – Bacanas IV
    3 – Blue Wind III

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.