• Marcello Veríssimo

    A Secretaria de Segurança Pública divulgou no começo desta semana, na última segunda-feira (25), o mapa da violência no primeiro semestre deste ano. O que chama atenção são os crimes de homicídio, que aumentaram na região. O indicador leva em conta o número de pessoas mortas por homicídio doloso, ou seja, quando há intenção de matar, entre julho de 2021 a junho de 2022.

    Os dados mostram que Caraguatatuba manteve a maior taxa de homicídio doloso, com 26,75. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), regiões com número acima de 10 vítimas por 100 mil habitantes estão na chamada “zona epidêmica” para a violência”.

    Caraguá, até o mês passado, registrou 17 vítimas por homicídio doloso entre janeiro e junho deste ano registradas na cidade. Isso fez com que o município se mantivesse na liderança do ranking das cidades mais violentas do interior paulista. A cidade de Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba, é a segunda com 24,93 vítimas de homicídio por 100 mil habitantes. Em sua maioria, por todo o interior paulista, a maioria das vítimas é do sexo masculino, sem formação escolar, tem entre 25 e 54 anos, e da cor branca ou parda.

    Para se ter uma ideia, no Litoral Norte, Ubatuba registrou 14, São Sebastião 10 e Ilhabela 1, aliás o arquipélago é o único município da região que registrou queda neste tipo de crime, passando de 2 no ano passado para 1.

    Apesar dos registros serem feitos pelo Estado, a SSP (Secretaria da Segurança Pública) disse ontem à reportagem do JDL que o levantamento feito por alguns veículos de imprensa não condizem com a realidade, que a conta não fecha. Por nota, a SSP informou que no primeiro semestre deste ano 15 cidades da Região Metropolitana Vale do Paraíba não apresentaram nenhuma morte intencional.

    De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, os casos de homicídios dolosos registrados na região, de janeiro a junho de 2022, apresentaram uma leve oscilação para cima se comparados ao mesmo período de 2019, anterior à pandemia da Covid-19. Em Caraguatatuba, Ilhabela e São Sebastião, os números citados em reportagens mostram que houve aumento de apenas uma morte em comparação com os dados de 2019.

    A taxa de homicídio em Caraguatatuba é de 6,58 homicídios por 100 mil habitantes, informou a SSP, e se manteve estável na comparação com o período pré-pandemia. A de Ubatuba é de 7,87 para cada 100 mil habitantes, o que representa uma queda na comparação entre os anos de 2021 e 2019. A de São Sebastião é de 5,41, número menor do que o registrado antes da pandemia e Ilhabela também apresentou recuo em relação ao ano de 2019. “Paralelamente a isso, as forças de segurança têm reforçado os programas de policiamento em toda a área do Litoral Norte”, garantiu a Secretária da Segurança Pública . Durante os seis primeiros meses do ano, o trabalho conjunto das forças policiais das regiões de Caraguatatuba, Ubatuba, Ilhabela e São Sebastião resultou em 797 prisões, 85 armas apreendidas e 58 veículos recuperados.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.