• Marcello Veríssimo

    A Promotoria de Justiça, em São Sebastião, denunciou nesta sexta-feira (3) 21 pessoas investigadas na “Operação Heisenberg”, deflagrada pela Polícia Civil contra ligados à facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios de São Paulo. Eles podem responder por crimes como tráfico de entorpecentes e tortura. O Ministério Público de São Paulo informou que caso a denúncia seja aceita nos termos propostos, os envolvidos também podem responder por organização criminosa e receptação.

    Em abril, a operação prendeu dois servidores comissionados da Prefeitura de São Sebastião durante ação na cidade. A dupla é apontada pela Polícia Civil como parte de um esquema de venda e logística do tráfico no município. Após a prisão, eles foram exonerados pelo prefeito Felipe Augusto.

    De acordo com o MP, os denunciados se associaram com a facção para praticar o tráfico de substâncias e outros crimes no Litoral Norte de São Paulo, sendo que cada um dos integrantes da organização possuía uma função específica.

    Em três fases, a operação já cumpriu 29 mandados de busca e apreensão em imóveis, efetuou 17 prisões cautelares e três em flagrante. A Operação Heisenberg também capturou um procurado pela Justiça.

    Até agora, segundo o balanço da operação, foram apreendidos quatro carros, três motocicletas, duas armas, 52 celulares, R$5.713, além de balanças de precisão, rádios comunicadores, drone, tonel, detector de metais e apetrechos para acondicionamento de drogas.

     

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.