• * Marcello Veríssimo
    
    

    Integrantes do subcomitê de Informação ao Público, da irmandade de Narcóticos Anônimos, que é reconhecida mundialmente como um programa de ajuda mútua na recuperação de dependentes químicos, vem realizando ações de divulgação informativas para a comunidade nas quatro cidades do Litoral Norte. O objetivo é facilitar o acesso às chamadas reuniões de recuperação, realizadas nas salas de mútua ajuda, que são voltadas exclusivamente para os dependentes químicos, ou como eles se autodenominam adictos.

    “Adicto é uma pessoa, não importa se homem ou mulher, cuja vida foi controlada pelas drogas. Adicção, terminologia derivada do latim, é uma doença que, para nós, afeta todas as áreas da vida sendo física, mental e espiritual que pode ter fins fatais”, disse um dos integrantes da irmandade de Narcóticos Anônimos, que para preservar sua identidade, não terá seu nome revelado. “Somos anônimos, não somos secretos. Estamos aqui para levar a mensagem que qualquer adicto não importando sua raça, classe social, sexo, preferência sexual, quais drogas usou, pode parar de usar drogas, perder o desejo de usar e encontrar uma nova maneira de viver”, ele completa.

    Para quem busca ajuda, o Litoral Norte conta com uma rede de clínicas de reabilitação, psicólogos e terapeutas. Mas a recuperação por meio de Narcóticos Anônimos é um processo individual, sem precedentes, que de acordo com eles promove profundas mudanças físicas e mentais no dependente químico fazendo com que ele pare de consumir drogas.

    As ações de divulgação realizadas periodicamente por este serviço oferecido por N.A, acontecem justamente para que a sociedade em geral conheça essa realidade e leve adiante a mensagem oferecida pelo programa de recuperação, que foi inspirado por Alcoólicos Anônimos, abrangendo também outras irmandades de diferentes tipos de vício e compulsão como os Jogadores Anônimos e o Dasa (Dependentes de Amor e Sexo Anônimos). “A divulgação acontece para que novas pessoas conheçam e tenham uma oportunidade de parar de usar, perder o desejo e encontrar uma nova maneira de viver. Existe vida após o uso de drogas!”, garantem os integrantes de Narcóticos Anônimos, ouvidos nesta reportagem.

    Somente no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, quase 30 milhões de cidadãos brasileiros conhecem um familiar que seja dependente químico. Além disso, cerca de 6% da população brasileira sofre de algum tipo de dependência química, ou seja, um contingente de 12,4 milhões de pessoas.

    No último dia 23 de abril, uma equipe percorreu bairros da região central de São Sebastião, entre eles o bairro da Topolândia, onde reconhecidamente é local de existência do tráfico de entorpecentes na cidade, colando cartazes em estabelecimentos comerciais, adesivos de banheiro e conversando com as pessoas informando sobre a existência e funcionamento de um grupo que oferece este tipo de ajuda na cidade. Também foram distribuídos sacos de pão com o logotipo e informações. Balanço preliminar divulgado por eles mostra que foram 500 sacos de pão, 30 cartazes e aproximadamente 500 folhetos distribuídos.

    A próxima ação está marcada para o dia 4 de maio, em Caraguatatuba.  Em N.A, segundo o seu subcomitê de IP (Informação ao Público), existem reuniões acontecendo em praticamente todos os dias da semana, nas quatro cidades da região, sempre a partir das 20h, com duração de aproximadamente 2 horas. “Para encontrar uma reunião, basta acessar o site www.na.org.br ou ligar para a Linha de Ajuda 132, para obter mais informações”.

    No Litoral Norte, de acordo com N.A, são cerca de 16 reuniões semanais que recebem e acolhem qualquer pessoa que tem ou acha que tem problemas com drogas. O serviço oferecido por Narcóticos Anônimos é totalmente gratuito e o seu anonimato será mantido. “Não tenha receio, vá conhecer, procure um grupo!”, eles dizem.

    Endereços das reuniões no Litoral Norte:

    Ilhabela – Rua Antônio Lisboa Alves S/N, Entrada Lateral pelo estacionamento da igreja, Centro/Vila.

    Caraguatatuba – Rua Maximiliano Coelho Neto, nº 100, Travessão, referência: CIASE

    Rua Jorge Burihan, nº 30, Jardim Jaqueira, Centro, referência: CIAPE.

    Rua São Miguel, nº 1382 sala 2, Morro do Algodão, referência: próximo ao Supermercado Cruzeiro.

    Rua do Eixo, nº 940, Ubatuba, Maranduba, referência:  igreja, em frente ao açougue.

    São Sebastião – Rua Nossa Senhora da Paz, nº38, centro, referência: Casa da Associação de Amparo à Mulher Sebastianense (AAMS).

    Ubatuba – Rua Paraná, nº 257, centro, referência: próximo ao tubão, Casa dos Conselhos.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *