• O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto, voltou a reforçar a importância da vacinação contra a Covid-19 em crianças, de 5 a 11 anos, iniciada semana passada na cidade. A estimativa é de que cerca de 9 mil crianças, entre 5 e 11 anos, sejam vacinadas no município.

    A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Secretaria de Saúde (SESAU) e da Fundação de Saúde Pública (FSPSS), começou na sexta-feira (21), a vacinação do público infantil contra a Covid-19; iniciada em crianças com comorbidades, sendo imunizadas 33 crianças; 7 na Costa Norte, 19 no centro e 7 na Costa Sul.

    No primeiro dia, 19, a prefeitura começou a vacinação contra Covid-19 do público infantil da comunidade indígena da Reserva Rio Silveiras. Uma equipe da Vigilância Epidemiológica do município se deslocou até o posto de saúde da aldeia exclusivamente para imunizar esse público. Um total de 44 crianças entre 5 e 11 anos receberam a primeira dose do imunizante, de um total de 92 indígenas moradores do local que devem ser vacinados nesta etapa da campanha.

    A Reserva Indígena Rio Silveiras está localizada na divisa dos municípios de Bertioga e São Sebastião, em Boraceia, em uma área de 948 hectares, adjacente ao Parque Estadual da Serra do Mar. A aldeia é composta de cerca de 120 famílias da etnia tupi-guarani, de 500 indígenas das etnias mbya e nhandeva, subgrupos da etnia guarani, que inclui o subgrupo kaiowás, o mais numeroso de todos no Brasil.

    As crianças recebem imunizantes pediátricos da Pfizer, aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nesta primeira fase, serão imunizadas crianças com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas.

    Para receber a vacina, é necessário que a criança, acompanhada pelos pais, ou responsáveis, vá até o polo mais próximo à sua residência, munida de CPF e comprovante de endereço. Caso tenha comorbidade, será necessário, também, apresentar comprovante da condição de risco: exames, receitas, relatório ou prescrição médica.

     

    Polos

    A vacinação infantil será das 9h às 15h nos seguintes polos:

    -Costa Norte: E. M. Cynthia Cliquet Luciano (Rua Castro Alves, 377, Enseada);

    -Centro: E. M. Prof. Dr. José Machado Rosa (Rua Agripino José do Nascimento, 22, Centro);

    -Costa Sul: E. M. Prof. Antonio Luiz Monteiro (Estrada do Cascalho, 1.409, Boiçucanga).

     

    É obrigatório respeitar os protocolos sanitários como uso de máscara, álcool em gel 70% e distanciamento social.

    A prefeitura lembra, novamente, que será necessário comprovar as comorbidades por meio de exames, receitas, relatórios médicos e prescrição médica.

    Se a criança não possui CPF, a SESAU orienta pais e responsáveis que solicitem a emissão do documento nos Correios, Cartórios de Registro Civil, ou agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. É um procedimento simples e rápido, na hora é emitido o Comprovante de Inscrição, que facilita muito no momento da vacinação. Caso contrário, será imprescindível apresentar o Cartão SUS.

     

    Pré-cadastro

    Também é importante realizar o pré-cadastro da criança no site “Vacina Já”, por meio do link: https://www.vacinaja.sp.gov.br/. Clique no botão “Crianças até 11 anos” e preencha o formulário online. Apesar de ser opcional, agiliza o cadastro das doses no sistema e permite uma melhor estimativa do número de vacinas necessárias.

    No momento da vacinação, os pais devem levar o mesmo documento utilizado para o pré-cadastro.

     

    Comorbidades

    As comorbidades consideradas pelo Ministério da Saúde nesta etapa da campanha de vacinação são: insuficiência cardíaca; cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fistulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados; talassemia; Síndrome de Down; Diabetes Mellitus; pmeunopatias crônicas graves; hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3; hipertensão estágios 1 e 2 com lesão de órgão-alvo; doença cerebrovascular; doença renal crônica; imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos); anemia falciforme; obesidade mórbida; cirrose hepática e HIV.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *