• Mesmo com o reforço do efetivo, por meio do ‘Projeto Verão’, a Prefeitura de Caraguatatuba já registra mais um aumento no número de atendimentos das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

    Dados apresentados pela Secretaria de Saúde mostram que, somente nas últimas 24 horas, o número de atendimentos das UPAs (sul, central e norte) chegaram a 1.910, sendo 1.037 referente a síndrome gripal e 873 de outras patologias.

    Desde a última sexta-feira (31), o total de atendimentos das UPAs tem ultrapassado a marca dos mil. Nesse dia, foram 1.341. Já no sábado (1º), os dados mostram que 1.824 atendimentos foram realizados.

    Devido a temporada de verão, a Prefeitura já esperava o crescimento da demanda em função da chegada de turistas e veranistas ao município, o que causaria o aumento do tempo de espera para o atendimento e lotação das unidades, e implantou o ‘Projeto Verão’.

    Porém, a situação se agravou por conta da disparada dos casos de síndrome gripal. Com isso, o ‘Projeto Verão’ foi reforçado e a Prefeitura colocou mais dois médicos plantonistas, um médico na triagem e instalou uma tenda para dar conforto e segurança aos pacientes da UPA Central, onde se concentra a maior parte dos atendimentos diários.

    O sistema de saúde de Pronto Atendimento (emergência e urgência) conta com 30 médicos, sendo 17 na UPA Central, 8 na UPA Sul e 5 na UPA Norte. O objetivo é que o atendimento aconteça da melhor forma possível, como ocorreu ao longo de todo ano.

    A Secretaria de Saúde pede o apoio da população para frear o aumento de casos e um possível surto de gripe (H1N1), ou da variante H3N2, no município.

    A população deve seguir algumas orientações como, por exemplo, o uso de máscaras de proteção e, se estiver apresentando algum sintoma, evitar aglomerações e não deixar de utilizar o álcool em gel.

    A Saúde orienta à população para ficar de olho nos sintomas. São eles: coriza, febre, dor no corpo, dor de garganta, mal-estar e fortes dores de cabeça. Ao apresentar qualquer um desses sintomas, fique em alerta e se necessário procure o serviço de saúde.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *